Pular para o conteúdo

França suspende iPhone 12 por níveis de radiação; aparelho terá atualização

Compartilhe:

A Agence Nationale des Fréquences (ANFR), responsável pela gestão radioelétrica na França, determinou dia 12 de setembro a suspensão da venda do iPhone 12, lançado em 2020. O órgão alega que o aparelho transmite alto nível de radiação eletromagnética. A correção, porém, deve ser simples, via atualização de software.

iPhone 12 radiação
Imagem: Apple

No dia 13 de setembro, a Apple alegou que o iPhone 12 foi certificado por vários órgãos internacionais que constataram que o aparelho tem níveis de radiação seguros. A empresa também enviou resultados laboratoriais da empresa e de terceiros para demonstrar que o aparelho é seguro para a ANFR.

Os testes realizados pela ANFR que simulam o aparelho na mão ou guardado no bolso, constaram que o dispositivo tem taxa de 5,74 watts por quilograma. O padrão para o Specific Absortion Rates (SAR), conhecido no Brasil como Teste de absorção de energia, na União Europeia (UE) é de 4,40 watts por quilograma.

Na sexta-feira (15), a Apple informou que irá atualizar o software do aparelho na França para que ele fique em conformidade com os níveis aceitáveis de radiação.

“Vamos enviar uma atualização para os usuários na França para acomodar o protocolo usado pelos reguladores. Estamos ansiosos para que o iPhone 12 continue disponível na França”, em comunicado enviado à Reuters.

Mesmo que o caso seja resolvido junto ao órgão francês, outros países disseram que irão realizar testes no aparelho para confirmar sua segurança, entre eles muitos da Europa, como a Holanda e Bélgica; já a Alemanha pretende reunir seus representantes com os da França para que busquem uma solução para toda a UE.

O Brasil também se manifestou sobre o caso, onde a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou na quinta-feira (14) que irá investigar a denúncia feita pela ANFR. “A área responsável está se reunindo com os organismos de certificação e laboratórios e organizando uma supervisão de mercado”, publicou a Anatel.


Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *