Pular para o conteúdo

James Webb descarta vida no TRAPPIST-1b, exoplaneta semelhante à Terra

Compartilhe esta notícia:

Novas análises com dados coletados pelo Telescópio Espacial James Webb dão a entender que o exoplaneta TRAPPIST-1b não tem atmosfera e consequentemente, não abriga vida.

ilustração TRAPPIS-1b
Ilustração do TRAPPIST-1b e sua estrela Anã Superfria. Imagem: ESA

A descoberta do sistema estelar TRAPPIST-1 em 1990 é motivo de esperança quanto a existência de planetas similares à Terra. A inexistência de atmosfera no TRAPPIST-1b diminui as expectativas, pois essa é uma condição essencial para a vida até onde temos conhecimento.

Mesmo que a notícia possa parecer um balde de água fria, essa constatação não acaba com todas as chances de descobrir um exoplaneta com condições de vida em um futuro próximo. Existem outros seis no sistema estelar TRAPPIST-1 que serão analisados por James Webb em breve. TRAPPIST-1b é um exoplaneta rochoso 1,4 vezes maior que a Terra e é o planeta mais próximo da estrela mãe em seu sistema.

Segundo a Agência Espacial Europeia (ESA), essa é a primeira vez que James Webb detecta uma forma de luz vinda de um exoplaneta rochoso. A temperatura do TRAPPIST-1b foi medida com o uso do Instrumento de infravermelho médio (MIRI) de James Webb, e ela chega a 230 graus Celsius. Com essa altíssima temperatura, os astrônomos acreditam ser impossível existir atmosfera.

O sistema TRAPPIST-1 é composto por sete exoplanetas, onde o TRAPPIST-1b é cerca de 40 vezes mais próximo de seu sol do que Mercúrio, planeta mais interno de nosso sistema, em relação ao nosso sol. Em comparação com a Terra, TRAPPIST-1b é cerca de 100 vezes mais próximo de seu sol.

sistema TRAPPIST-1
Com essa ilustração podemos observar que todo o sistema TRAPPIST-1 (estrela e 7 planetas) cabe na órbita de Mercúrio. Imagem: ESA

Mesmo com essa distância próxima de sua estrela, principalmente entusiastas da astronomia tinham esperanças de que TRAPPIST-1 reunisse condições para a vida pelo motivo de que ela é bem mais fraca (Anã Superfria) do que o nosso sol.

Já entre os astrônomos, a notícia de que esse exoplaneta certamente não possui atmosfera não influenciou tanto na esperança de existir vida no mesmo. Muitos já duvidavam de que ele teria as condições ideais pois mesmo tendo uma estrela considerada fraca, o TRAPPIST-1b recebe cerca de quatro vezes mais luz estelar do que a Terra.


Compartilhe esta notícia:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *