Pular para o conteúdo

Chefe do Xbox encerra polêmica de Call of Duty no Playstation

Compartilhe esta notícia:

Phil Spencer, CEO da Microsoft Gaming, responsável pelo Xbox, deu uma resposta direta sobre o futuro do Call of Duty no Playstation em uma entrevista para o Decoder. Esse assunto foi muito debatido nos últimos meses, pois se a compra da Activision Blizzard (produtora de Call of Duty) pela Microsoft for aprovada, existiria o risco do jogo ser exclusivo para o Xbox em um futuro não tão distante.

Call of Duty continua no Sony Playstation

“Não se trata de em algum momento eu puxar o tapete debaixo das pernas do PlayStation 7 e dizer ‘ahaha, você não assinou o contrato por tempo suficiente’”, diz Spencer. “Não há nenhum contrato que possa ser escrito que diga para sempre.”, disse Spencer.

O que estava em vigor sobre o Call of Duty no Playstation caso a compra da Activision Blizzard pela Microsoft seja aprovada pelos órgãos reguladores, era um compromisso escrito no começo de 2022, onde Spencer garante que iria manter o jogo na Sony por vários anos, porém sem um número exato. Esse compromisso escrito não foi sanou as dúvidas da crítica, de fãs da franquia pelo mundo e gerou críticas pela Sony, dona do Playstation.

Pouco tempo após a compra começar a ser avaliada pelos ógãos reguladores, a Sony disse que a oferta feita pela Microsoft de manter o Call of Duty por vários anos é inadequada em vários níveis. Após essa manifestação, o assunto sobre a exclusividade de Call of Duty daqui alguns anos, ganhou proporções enormes.

Um dos fatores cruciais para que uma compra dessa dimensão seja aprovada pelos órgãos reguladores, é a garantia que a ampla concorrência seja mantida. Nessa caso, como a Activision Blizzard é uma das principais produtoras de jogos eletrônicos do mundo, manter toda sua produção exclusiva a uma empresa, pode ferir essa garantia.

“Essa ideia de escrevermos um contrato que diz a palavra para sempre é um pouco boba, mas para fazer um compromisso de longo prazo com o qual a Sony se sentiria confortável, os reguladores se sentiriam confortáveis, não tenho problema com isso.”, disse Spencer.

Spencer afirmou também que em nenhum momento será necessário adicionar o Games Pass do Xbox para utilizar todos os recursos de Call of Duty no Playstation. Ele afirmou isso, pois muitos usuários acreditavam que para utilizar alguns recursos do jogo, mesmo que no Playstation, seria necessário adquirir o serviço por assinatura da Microsoft.


Compartilhe esta notícia:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *