Pular para o conteúdo

NASA deve encontrar vida fora da Terra em 2025

Compartilhe esta notícia:

A NASA, Agência Espacial estadunidense, planeja o póximo voo tripulado na Lua em dezembro de 2025 com a missão Artemis III, e ela acredita que irá encontrar os primeiros organismos vivos fora da Terra nessa missão.

Pegada na Lua
Imagem: iStock

Sobre isso, Prabal Saxena, que é pesquisador planetário da NASA, disse ao site Futurism que “Uma das coisas mais impressionantes que nossa equipe descobriu é que, dada a pesquisa recente sobre os intervalos em que certa vida microbiana pode sobreviver, pode haver nichos potencialmente habitáveis ​​para essa vida em áreas relativamente protegidas em alguns corpos sem ar”.

Os microorganismos que devem habitar a Lua possivelmente estão nas crateras do polo sul lunar, nas regiões com sombra constante. A NASA ainda não decidiu o local exato do pouso da Artemis III, e ainda cogita 13 regiões próximas do polo sul da Lua.

A Artemis III recebe muita expectativa dos astrônomos envolvidos e também de grande parte da comunidade mundial, pois a última vez que um humano aterrisou na Lua foi em 1972, com a missão Apollo 17. Ou seja, mais de 50 anos atrás.

Os especialistas da equipe de Saxena apontaram que alguns microorganismos poderiam viver na Lua após chegarem em meteoros, porém resta a dúvida se eles suportariam a longa viagem espacial dessas rochas.

Outra possibilidade aceita pelos especialistas, é a chegada dos microorganismos na Lua por meio dos humanos. As duas ocasiões mais cogitadas para isso é a missão Apolo 17 e também quando um módulo de pouso lunar falhou em 2019 e espalhou tardígrafos na superfície lunar. Os tardígrafos são micro animais conhecidos por sobreviverem as condições mais ríspidas de pressão, temperatura, radiação, desidratação, e o principal, o vácuo do espaço.

“Vemos os humanos como o vetor mais provável [de micróbios], dados os extensos dados que temos sobre nossa história de exploração e o registro de impacto como uma segunda fonte terrestre primitiva, embora menos influente”, informou Heather Graham, geoquímica orgânica da NASA, ao Space.

Como podemos analisar, a vida mais provável de existir na Lua deve ser originária da Terra. Porém caso isso seja confirmado, já é um grande passo para desvendar a vida fora de nosso planeta.


Compartilhe esta notícia:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *