Pular para o conteúdo

Úteros artificiais para gerar 30 mil bebês por ano. Assista

Compartilhe:

Um vídeo conceitual sobre úteros artificiais que podem gerar 30 mil bebês por ano e que foi publicado por Hashem Al-Ghaili, cineasta e biotecnólogo nascido no Iêmen, movimentou a internet.

EctoLife úteros artificiais
Representação de um útero artificial EctoLife

O vídeo afirma que essa forma de conceber bebês é uma “alternativa segura e sem dor” para a geração de crianças no futuro. Os úteros artificiais mostrados no vídeo tem nome de EctoLife, que são os primeiro úteros artificiais que possibilitam pais estéreos a terem bebês, inclusive editando seus traços genéticos.

“Ectolife permite que casais inférteis concebam um bebê e se tornem os verdadeiros pais de seus próprios filhos. É uma solução perfeita para mulheres que tiveram seu útero removido cirurgicamente devido a câncer ou outras complicações”, segundo a tradução da narração mostrada enquanto o vídeo é reproduzido.

Nó vídeo é afirmado que a ideia da instalação de úteros artificiais tem base em 5 décadas de estudos científicos, que segundo o cineasta, é uma “pesquisa científica inovadora”. Alguns países são apontados no vídeo como foco da produção de bebês, como Japão, Bulgária e Coréia do Sul, isso pelo atual declínio da população.

Segundo informações contidas no vídeo, a energia utilizada na instalação é renovável e conta com 75 laboratórios, sendo que cada um tem até 400 cápsulas, como úteros artificiais, possibilitando gerar 30 mil bebês.

As cápsulas EctoLife simulam um útero humano, com todas as condições de desenvolvimento de um bebê, inclusive com cordão umbilical artificial, que é por onde os nutrientes que os bebês necessitam, além do oxigênio, são disponibilizados.

Como funciona a instalação de úteros artificias EctoLife

Os úteros artificiais mostrados propostos por Hashem Al-Ghaili tem também funcionalidades a mais do que simplesmente ser um ambiente favorável ao desenvolvimento dos bebês. Exemplo disso são sensores e scanners para monitorarem o crescimento do bebê, para assim gerar dados a serem analisados por cientistas e também para serem enviados aos smartphones dos pais.

Quanto a isso, anormalidades quanto ao desenvolvimento dos bebês podem ser descobertas com antecedência pelos pais. A geração do feto nos úteros artificias contidas no vídeo não são feitas da forma convencional, mas sim in vitro. Esperma e óvulo são selecionados para criar um embrião geneticamente forte, diminuindo a possibilidade de anomalias genéticas.

Além dessa seleção, um “pacote premium” é mostrado no vídeo, que consiste na possibilidade de modificar a genética do embrião. Assim, os pais tem a possibilidade de mudarem as características do futuro filho, como cor do cabelo, tom de pele, altura, força física, cor dos olhos, remover doenças hereditárias e até aumentar a inteligência.

“Você pode editar qualquer traço do seu bebê através de uma ampla gama de mais de 300 genes”, segundo informação do vídeo.

O nascimento dos bebês pelo EctoLife são feitos por simples botões quando chegada a hora. Com isso, a mãe não sentiria dor e nem passaria por todo o processo da gestação. Em certo trecho do vídeo, foi mostrada a possibilidade da criação dos úteros artificiais domésticos. Com isso, os bebês teriam o desenvolvimento nas cápsulas, porém em casa ou onde os pais desejassem.

Assista ao vídeo publicado por Hashem Al-Ghaili da instalação dos úteros artificiais

Assista abaixo o vídeo completo da apresentação feita por Hashem Al-Ghaili. O vídeo tem narração em inglês e possibilita a adição de legendas automáticas em inglês, o que é bom para os casos onde o usuário tenha mais facilidade de ler o idioma estrangeiro do que apenas ouvir.

YouTube video

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *