Pular para o conteúdo

ChatGPT poderá ler cérebros em exames neurológicos

Compartilhe esta notícia:

A Universidade do Texas divulgou um relatório onde é constatado que o ChatGPT, chatbot da OpenAI, poderá fazer leituras cerebrais em exames neurológicos de forma não invasiva.

Montagem com logo da OpenAI e ChatGPT

Essa capacidade resulta em mais um importante passo da revolução da inteligência artificial. Os pesquisadores informaram que a IA é capaz de por exemplo de “identificar estímulos entre um pequeno conjunto de palavras ou frases” ao analisar a atividade cerebral, conforme a publicação do estudo na Nature Neuroscience.

Um dos voluntários da pesquisa, Alexander Huth, que é professor assistente de neurociência e ciência da computação, participou ativamente das análises. Ele ficou mais de vinte horas em uma máquina de ressonância magnética enquanto ouvia diferentes sons para que a IA analisasse sua atividade cerebral.

Embora o ChatGPT tenha capacidade de fazer análises avançadas dos cérebros, até o momento foi constatado que ele não é capaz de ler a mente humana, não sendo ainda um leitor de pensamentos. Isso pode ter trazido alívio para muitos, porém pode mudar logo, visto que essa tecnologia ainda é muito recente.

Os estudiosos dessa pesquisa ficaram otimistas com a capacidade de leitura da atividade cerebral que o ChatGPT demonstrou, pois assim os tratamentos de pessoas com sequelas cerebrais graves, que podem ser oriundas de casos como AVC, traumatismos e doenças degenerativas, poderão ser mais efetivos.

As sequelas causadas pelos exemplos acima e muitos outros, muitas das vezes deixa os pacientes impossibilitados de se movimentarem e de se expressarem. Com a possibilidade de leitura cerebral avançada, será mais fácil saber quais necessidades e ações a serem tomadas pelos neurocientistas e cuidadores nesses casos.

A possibilidade de análises cerebrais pelo ChatGPT e demais inteligências artificiais resultarão em grandes avanços para a medicina, porém será preciso cautela e analisar quais medidas quanto a fiscalização precisarão ser tomadas para manter apenas a utilização benéfica disso.


Compartilhe esta notícia:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *