Pular para o conteúdo

Gestores de falência crescem enquanto empresas de criptomoedas vão à falência

Compartilhe esta notícia:

Muitas empresas administradoras de criptomoedas estão em crise ou falindo e empresas gestoras de falência se beneficiam com isso.

crise e falência nas criptomoedas

Em mais exemplo de colapso, a BlockFi, empresa de gestão e proteção de criptoemadas declarou falência essa semana. Isso aconteceu pelos atuais problemas do setor e pelo fato dela ter quase US$ 400 milhões em criptomoedas na FTX, que faliu mês passado.

Além desses casos, outros exemplos pertinentes que faliram são o fundo Three Arrows Capital, Celsius Network e Voyager Digital. Os escritórios de gestão de crise e falência faturaram mais de US$ 100 milhões com honorários de empresas relacionados com cripotomoedas. Foi possível saber a quantia pois empresas que fazem gerência de falência devem informar o faturamento vindo dessas negociações.

Os advogados são obrigados a declarar os honorários para que sejam aprovados ou não por um juiz. Geralmente os juízes não abaixam os valores cobrados, que são oriundos da massa falida das empresas.

Um dos escritórios que mais ganhou com a crise das criptomoeadas é o Kirkland & Ellis, que representou a BlockFi. Além desse caso, ele é um dos principais representantes da Celsius Network e Voyager Digital.

Conforme os documentos de cobrança, esse escritório cobra até próximo de US$ 2000 por hora. Assim, o faturamento do Kirkland & Ellis foi em torno de 3,3 milhões mensais em cada um desses últimos trabalhos em honorários advocatícios.

O escritório responsável por gerir a falência da FTX foi Wall Street Sullivan & Cromwell, que embora os honorários ainda não tenham sido informados nessa situação, eles cobram até US$ 1825 por hora conforme documentos anteriores.


Compartilhe esta notícia:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *